Afinidades espirituais, resgates e compromissos edificantes

0
98
hands trying to fit two puzzle pieces together

Vivemos num momento de grande inquietação dos indivíduos, perguntas íntimas referentes a sentimentos e desejos que antes eram de difícil indagação, na atualidade está no centro das discussões e dos debates, estamos num momento onde as dúvidas estão sendo esclarecidas e as pessoas estão se abrindo para novas indagações. Nesta nova sociedade, percebemos claramente uma mudança estrutural nas famílias, os relacionamentos estão sendo alterados e as dúvidas estão vindo à tona, neste instante, o ser humano começa a se mostrar mais humano, cheio de dúvidas, medos e indagações constantes.

Muitas pessoas estão se indagando sobre questões relacionadas a sentimentos e amores, irmãos distantes e amigos próximos levam os indivíduos a inúmeras reflexões, afinal, como pode eu termais afinidades com meu amigo do que com meu próprio irmão? Neste aspecto, a Doutrina Espírita nos traz um grande conjunto de respostas e esclarecimentos que nos confortam e nos abrem novas perspectivas de compreensão da natureza humana.

No mundo contemporâneo, marcado pelo avanço tecnológico, as informações pululam em todos os cantos, a rede mundial de computadores nos traz os mais variados assuntos, sites de busca como o google nos auxiliam a encontrar estas informações e transformá-las em conhecimentos, que podem nos servir na caminhada nos trazendo melhoras íntimas e pessoais, destacando histórias e casos de sucesso que nos motivam e nos fazem crescer e nos desenvolver.

Diante deste arsenal de informações e conhecimentos disponíveis no mundo contemporâneo, alegar desconhecimento não pode ser visto mais como uma desculpa plausível e aceita, devemos nos moldar aos momentos e mostram nossa flexibilidade, afinal somos espíritos em constantes vivências diferentes e complementares, numa das encarnações estamos num corpo como homem e, numa próxima encarnação, podemos estar com uma outra roupagem física, em locais e com costumes e comportamentos diferentes, nesta situação a adaptação é fundamental e a providência divina nos concede os instrumentos necessários para todas estas vivências e experiências visando nosso crescimento e evolução espiritual.

Neste ambiente de informações crescentes, a doutrina dos espíritos nos trazem grandes revelações, levando os indivíduos a refletirem sobre suas trajetórias, embora o movimento espírita congregue “apenas” 4 milhões de brasileiros, segundo o IBGE, o país abriga mais de vinte milhões de simpatizantes, muitos desejando conhecer mais os ensinamentos espíritas, alguns passando por processos obsessivos e não recebendo as informações mais condizentes com suas situações ou aspirações, buscam no espiritismo uma fonte de conhecimentos mais precisos e conscientes.

Quantas famílias se encontram em situação de conflitos abertos entre seus membros, quantos país e mães recebem em seu seio crianças que destoam de suas raízes, com comportamentos inadequados, posturas antagônicas, agressividade e impulsividade que os levam a confrontos constantes, gerando rancores e ressentimentos que acabam corroendo o relacionamento e criando uma mágoa generalizada, desagregando a família e destruindo relacionamentos e resgates que poderiam auxiliar no processo evolutivos.

Irmãos que vivem em constantes conflitos, que se ofendem e agridem com palavras e até mesmo com a força física, deixando de lado os vínculos afetivos, emocionais e materiais e retornando aos instintos mais selvagens, rememorando momentos de irracionalidade vividos em passagens anteriores do processo evolutivo, quando sentimentos menores ainda eram comemorados intensamente e traziam os prazeres mais secretos para seus corações, mesmo contribuindo para aumentar os resgates futuros.

Quantos espíritos reencarnam com missões de construir relações favoráveis com aqueles que, em momentos anteriores, agrediram, ofenderam e caluniaram, mas no momento do retorno material se deixam levar pelas mágoas anteriores, pelos remorsos desagregadores e passam a espezinhar, maltratar e desbaratar os laços de solidariedade e perdão.

Os laços de famílias são fortes entre os indivíduos, mas os laços mais sólidos são aqueles entre espíritos simpáticos, que trazem em seu períspirito afinidades mais consistentes que perpassam esta vida e, muitas vezes, tem suas raízes inseridas em inúmeras encarnações anteriores, onde construíram um relacionamento sólido e saudável, estes espíritos se aproximam, se auxiliam e se comprazem em estar e em evoluir juntos.

Alguns familiares carecem deste laço espiritual mais sólido, estão juntos nesta encarnação muito mais por resgates do que por semelhanças espirituais e afinidades, a doutrina espírita nos mostra como este momento é importante para as pessoas, esta oportunidade de resgatar algum constrangimento de vidas passadas é sempre um processo educativo, sem este resgate o indivíduo não consegue evoluir mais consistentemente, consegue dar passos evolutivos mas sente, interiormente, que para alçar voos maiores, faz-se necessário e urgente, se redimir dos equívocos anteriores que ainda se encontram vivos em seu interior e sua consciência o faz lembrar de forma insistente.

Todas as oportunidades de resgate devem ser compreendidas como um processo de educação do espírito, muitos enxergam esta situação como uma punição, muitas vezes severas e agressivas da espiritualidade, esta compreensão não se faz correta, por mais que passemos por momentos de dificuldade na vida terrena, estas dificuldades devem ser vistas como grandes luzes de esclarecimento para os dias vindouros.

Se analisarmos um dos livros da coleção A vida no mundo espiritual, de André Luiz, Os missionários da Luz, vamos nos deparar com uma situação interessante, depois de matar Adelino para ficar com sua esposa, Raquel, Segismundo desencarna e vai para o mundo espiritual em regiões degradantes, depois de ser resgatado destes locais inferiores e se converter a uma mudança espiritual verdadeira, trabalhando e se dedicando imensamente em prol de auxiliar e se desenvolver espiritualmente, Segismundo recebe a notícia de seu retorno ao mundo material nos braços do casal acima. Neste momento a espiritualidade auxilia para que estes três não aumentem mais seus débitos e busca estimular um reencontro e uma maior aceitação, fazendo com que esta reencarnação seja um instrumento de construção na vida destas três pessoas, que traziam em seu íntimo rancores, ressentimentos e muita agressividade, fruto de desencontros de vidas anteriores.

Muitas pessoas agridem, maltratam e desbaratam familiares, acumulam ressentimentos por coisas pequenas e se colocam como vítimas em situações que poderiam ser facilmente resolvidas com um pouco de bom senso, outros são dominados por um constante melindre, tudo os ofende, tudo os constrange e tudo os agride, com isso, vivem constantemente se esquivando de responsabilidades e colocando a culpa em seus semelhantes, são estes incompreensivos que me afastam da doutrina, são estes invejosos que me agridem e são estes egoístas que destroem meu crescimento e meu desenvolvimento espiritual.

A Doutrina Espírita nos mostra, de forma clara e consistente, que todos os relacionamentos que construímos em nossas vidas devem ser marcados pelo respeito e pela solidariedade, todos aqueles indivíduos que geramos constrangimentos, agredimos ou cometemos ilicitudes, devemos nos reconciliar ainda nesta encarnação, pedir desculpa e tentar modificar sentimentos que, em muitos casos, estão represados a muitas encarnações. Algumas pessoas estão próximas, se agridem constantemente e quando um deles está em momentos de despedida, ao invés de se reconciliar, de perdoar e de construir uma nova relação, se afasta e, com isso, perde a oportunidade de reconstruir estes laços que muitas vezes o acompanharão por milênios, gerando dores e ressentimentos.

Se observarmos alguns fenômenos sociais que estão presentes na sociedade contemporânea, vamos perceber que as famílias estão reduzindo drasticamente o número de filhos, principalmente em países mais desenvolvidos e dotados de melhores condições sociais e econômicas. Diante desta constatação, devemos aproveitar o máximo possível nossa vida atual, reconciliar com nossos desafetos e construir relações sociais e espirituais mais sólidas e consistentes com aqueles que reencarnam como nossos familiares, pois senão o fizermos, muito provavelmente nossa próxima encarnação se dará em outras regiões do globo terrestre, onde a doutrina pouco estará presente e nós nos veremos com menos oportunidades de nos reconciliarmos com aqueles que nos ofenderam e nós o batizamos de desafetos.

Quantos filhos e filhas, ao perderem seus pais, mergulham em momentos constrangedores de depressão e dores severas na consciência, remorso de brigas e desajustes anteriores, muitos deles, em momentos de fúria agrediram seus genitores ou os abandonaram nos momentos de senilidade, estas dores na consciência os corroem de forma crescente, gerando desequilíbrios, obsessão e, em muitos casos, os levam a depressão ao, no limite, ao suicídio.

Nestes casos, muitos destes filhos ou filhas, vitimados por dores intensas, buscam as casas espíritas ou outros cultos religiosos, para se reconciliarem com seus genitores, buscam acima de tudo um perdão para se livrar das dores e cobranças que são constantes em suas consciências, cujas cobranças afligem a alma e geram medos nos escaninhos do espírito.

O melhor momento para nos reconciliarmos com nossos desafetos é agora, muitos encarnarão como filhos, filhas, esposos, esposas ou familiares próximos, se assim acontecer, devemos agradecer imensamente aos espíritos amigos e a espiritualidade maior por esta oportunidade de construirmos uma nova relação, centrada no respeito e na compreensão de que todos somos devedores, nascemos endividados e devemos nos desvencilhar desta dívida no decorrer de nosso desenvolvimento espiritual, retirando de nossos espíritos os pesos que nos impomos e nos limitam nosso crescimento moral e espiritual.

Os laços espirituais são os verdadeiros laços que nos sustentam na vida, muitos apresentam proximidade material e parental, mas muito distantes espiritualmente, convivem de forma respeitosa, mas não conseguem construir um relacionamento mais consistente e verdadeiro, diante disso, observe melhor suas escolhas, seus relacionamentos e seus sentimentos, se encontrou alguém que apresenta vínculos espirituais, preserve estes relacionamentos e cultive o amor e a gratidão, somente com estes valores éticos e comportamentos morais que o ser humano vai conseguir se libertar das angústias e das negatividades que trazem inseridas em seu períspirito, muitas delas fruto de uma infinidade de vidas e passagens pelo mundo material.

 

 

 

 

DEIXAR RESPOSTA

Por favor digite seu comentaário
Digite seu nome