Anotações sobre a Reencarnação de Segismundo

0
614

A obra de André Luiz, designada a vida no mundo espiritual, é um grande bálsamo para estudarmos e refletirmos sobre como se dá a vida depois da morte do corpo físico, os livros nos auxiliam na compreensão de onde vamos quando morrermos, quem encontraremos e o que faremos neste novo mundo, indagações que o ser humano sempre se fez e muito poucas respostas sensatas e coerentes conseguiu encontrar. A obra do médico carioca retrata as suas experiências individuais depois que partiu para o mundo espiritual, seus dramas, traumas, medos, constrangimentos, surpresas e as muitas alegrias, uma obra de fôlego que desnuda com detalhes como se dá a vida depois da morte física, a vida no mundo espiritual.

Os relatos contidos nas experiências do espírito André Luiz foram estruturados em treze livros, sendo que nestas obras o autor disseca questões de grande relevância para que os indivíduos possam entender que a morte é, na verdade, algo normal e corriqueiro na vida de cada pessoa, somos espíritos em evolução, para o autor a razão existe no mundo a mais ou menos 40 mil anos, diante disso, podemos imaginar que cada pessoa encarnada ou desencarnada, já encarnou e depois desencarnou mais de mil vezes, ou seja, estamos em uma viagem de muitas paradas rumando a um progresso inexorável.

A morte sempre foi um dos maiores medos dos seres humanos, todos sabemos que um dia vamos morrer, mas ninguém gosta de conversar sobre este tema tão indigesto, o Espiritismo trouxe importantes informações referentes a este momento tão relevante e difícil para o indivíduo, mostrou-nos que a morte não existe, o que morre é o corpo físico, a matéria, o espírito se liberta e vai, paulatinamente, se lembrando da existência, a vida verdadeira se dá no mundo imaterial ou, se preferirem, no mundo espiritual.

Somos fruto de inúmeras encarnações, vivemos muitas vidas em corpos diferentes e por períodos diferentes, nascemos como homens e como mulheres e, em muitas vidas, passamos pela prova da homossexualidade, ou seja, vivemos variadas experiências com o intuito de compreender as dificuldades de todos os indivíduos, julgar menos, auxiliar mais e desenvolvermos a chamada empatia, desta forma teremos certeza de que estamos na marcha do progresso e do crescimento do nosso espírito.

As reencarnações se sucedem várias vezes, este processo difere de pessoa para pessoa, as encarnações são diferentes pois estão atreladas a momentos diferentes de cada indivíduo e, principalmente, estão relacionadas ao merecimento de cada pessoa, alguns reencarnes são amplamente planejados e estruturados pelo mundo maior, nestes casos percebemos o engajamento de espíritos de alto valor moral, agora, nem todos os reencarnes ocorrem desta forma, uma parcela grande das pessoas que chegam no mundo material são indivíduos cujo reencarne se deu de forma desorganizada e desestruturada, muitas vezes em decorrência do desequilíbrio e do baixo merecimento do indivíduo que reencarna, com isso, percebemos que o merecimento das pessoas é fundamental para que nosso retorno ao mundo físico seja planejado.

Na Doutrina Espírita encontramos inúmeros exemplos de reencarnações, dentre elas, destacamos a reencarnação de Segismundo, descrita no livro Missionários da Luz, uma das obras ditadas pelo espírito André Luiz na coleção A vida no mundo espiritual. No livro, o escritor destaca um modelo de reencarnação planejada, onde o merecimento de Segismundo fez com que inúmeros espíritos dotados de grande bagagem espiritual auxiliasse, unindo desafetos, estimulando uniões e contribuindo para que os irmãos em desajuste conseguissem construir uma nova história de vida e de progresso.

Na obra percebemos que Segismundo assassinou Adelino com o intuito de se casar com Raquel, a quem se interessou mesmo sabendo que ela era esposa de Adelino, o crime gerou graves desequilíbrios em todos os envolvidos no caso, a morte do marido levou Raquel ao desequilíbrio e este para as drogas e para a prostituição, levando-a ao suicídio, o mesmo aconteceu que Segismundo que ao ver seus planos dando errado acabou dando cabo para sua vida, retornando ao mundo espiritual em situação abjeta, marcados por grandes desequilíbrios, desajustes e intensa degradação.

Depois de se conscientizar de todos os crimes cometidos nesta encarnação, Segismundo sente seu coração em grave desequilíbrio, suas dores são intensas, a conscientização de todos o seu drama particular o fere intensamente, gerando dores e desgastes intensos, o momento da tomada de consciência do espírito é sempre doloroso e marcada por lágrimas e tristezas generalizadas mas, mesmo sendo algo tão assustador, este momento é fundamental e de grande importância para o espírito, é como se ele estivesse se dando conta de todas as atrocidades cometidas e se preparando para iniciar um novo período em sua existência, um recomeço de sua história.

No mundo espiritual, depois de sua conscientização, Segismundo começa a reconstrução de sua história, inicia uma grande transformação em suas atitudes, se abre frontalmente para o trabalho assistencial, despende suas mais intensas energias com os semelhantes, atende carentes de todas as naturezas, ampara os caídos e os sofredores, pouco descansa, pois sabe que esta oportunidade é fundamental para que se reconcilie com as leis de Deus e, principalmente, com a sua consciência e com o seu íntimo.

Nestas andanças de dedicação e constantes trabalhos e missões, Segismundo passa a ser adorado pelas pessoas, os caídos e degradados veem nele um santo ou um enviado de Deus, todos passam a orar e a pedir auxilio para este espírito, mal sabiam que, por trás deste grande missionário, responsável por grandes auxílios e intensa dedicação, estava um irmão que na encarnação anterior cometeu um dos mais perversos crimes, assassinou um pai de família ambicionando se unir com sua esposa, gerando dores físicas, emocionais, morais e espirituais.

Graças ao merecimento acumulado por anos de dedicação aos amigos sofredores do mundo espiritual, Segismundo acumulou muitos méritos e agradecimentos daqueles que foram por ele auxiliados, diante destes méritos, espíritos de alto escalão moral e, principalmente, espiritual, vieram em seu auxílio e proteção, anunciando que sua próxima encarnação estava se materializando proximamente, onde viria em um lar estruturado e teria como pais, justamente Raquel e Adelino, tendo a oportunidade de se reconciliar com aqueles que, em vidas anteriores, contribuiu decisivamente para seu desequilíbrio e desestruturação.

A missão dos espíritos de luz era convencer o casal a receber Segismundo como seu filho proximamente, para Raquel o aceite foi imediato e mais rápido enquanto Adelino relutava em tê-lo como filho, vendo nele o algoz responsável por seus graves desequilíbrios de vidas anteriores, aceitar como filho aquele que o assassinou em sua vida anterior era uma das maiores dificuldades de Adelino que, embora estivesse chateado com Segismundo era uma pessoa de bem, honesto, trabalhador e dotado de valores nobres.

Depois de várias excursões ao mundo físico e encontro com a família de Raquel e Adelino, os espíritos conseguiram mostrar ao casal de como seria importante para todos os envolvidos um aceite verdadeiro e sem mágoas, tudo isto contribuiria para o crescimento de todos, o reequilíbrio individual e a construção de um forte vínculo entre estes irmãos que, em vidas anteriores, se entregaram a desequilíbrios dos mais perversos possíveis.

O livro nos mostra que, mesmo ao cometermos as maiores atrocidades, se tivermos interesse em se melhorar e se transformar, seremos fortemente auxiliados pelo mundo espiritual, nossos desajustes não serão esquecidos, mas teremos auxílio para recomeçar e reconstruir nossas experiências, assim aconteceu com Segismundo, ao tomar consciência de todas as atrocidades cometidas, ao se deparar com seu lado sombra e perceber a importância do trabalho como forma de reequilíbrio, se entregou intensamente ao próximo, muitas vezes se esquecendo dele mesmo, auxiliou, confortou, amparou e, principalmente, se renovou intimamente para conseguir uma nova experiência no corpo físico, veio a reencarnação e com ela uma nova oportunidade de progresso.

O exemplo acima é de uma reencarnação planejada, Segismundo, Raquel e Adelino, os envolvidos nesta experiência de reencarnação foram arregimentados e estavam conscientes de que estariam próximos na nova encarnação, o envolvimento foi costurado pelos espíritos do bem que trabalham intensamente para a promoção das leis de Deus no mundo material, tudo só foi possível devido ao merecimento de cada um dos envolvidos, sem merecimento é impossível o planejamento dos espíritos da luz.

A reencarnação nos auxilia a compreender a justiça divina, sem ela dificilmente conseguiríamos compreender como funciona os mecanismos de Deus, como compreender que em um mundo tão maravilhoso, rico e abundante, dotado de inúmeros recursos naturais,  tenhamos pessoas passando por privações das mais primárias e severas, pessoas sem alimentos de um lado e fartura e desperdício de outro, como entender a justiça sem colocarmos nesta equação os conceitos de reencarnação.

Muitos não acreditam e não querem acreditar na existência da reencarnação, este é um direito de cada indivíduo, o espiritismo nos mostra que muitas pessoas mesmo estando no mundo espiritual ainda não acreditam na vida pós morte, acham que estão vivos no mundo material, estas pessoas serão atendidas e são amadas, são irmãos e merecem o respeito eterno, um dia conseguirão enxergar as bases que sustentam a vida, um dia perceberão a grandeza dos ensinamentos divinos e se empolgarão com os conceitos que nos foram trazidos pela doutrina dos espíritos, todos nós um dia acordaremos para esta realidade do mundo, pois como nos disse Jesus, nenhuma das ovelhas que me foram confiadas por meu pai, se perderá.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DEIXAR RESPOSTA

Por favor digite seu comentaário
Digite seu nome