As transformações na sociedade em decorrência da pandemia

0
41

A sociedade mundial passa por um momento de grandes incertezas geradas pela pandemia do coronavírus, deixando um rastro de mais de 15 milhões de infectados, com seus impactos imediatos sobre todas as regiões e países do globo, desde as economias mais pujantes e desenvolvidas até os países pobres e miseráveis, levando uma leva de mortes, desesperanças e instabilidades econômicas, desajustes políticos e sociais, além de um caos generalizado na questão sanitária e de saúde pública.

Neste ambiente de medos crescentes, encontramos visões das mais variadas sobre o flagelo da pandemia, uns acreditam que vivemos um momento de um castigo divino, nestes crises percebemos graves constrangimentos para as civilizações; enquanto outras pessoas, enxergam neste episódio, um instante sublime de renovação global, onde todos devem dar seus relatos como forma de viver uma renovação espiritual, a pós-pandemia abrirá espaço para uma nova sociedade, onde os indivíduos tendem a perceber que os valores devem ser reestruturados com coletividade universal.

As pandemias não devem ser vistas como um momento inédito na sociedade internacional, são inúmeras epidemias globais se espalharam para todos os rincões no mundo, levando a óbito uma parcela imensa de pessoas, gerando muitas dores, tristezas e desesperanças e, posteriormente, novas situações transformando a sociedade, renovando atitudes e comportamentos e abrindo caminho para novos sentimentos e valores mais consistentes. No começo do século XX, a gripe espanhola, que foi causada pelo vírus influenza, assolou a sociedade internacional entre janeiro de 1918 a dezembro de 1920, infectou mais de 500 milhões de pessoas, cerca de um quarto da população mundial, gerando tristezas e saudades crescentes em grande parte das famílias mundiais.

A Doutrina Espírita nos traz inúmeros instrumentos para refletir sobre este momento da contemporaneidade, ao analisar o livro A Gênese, no capítulo XVII, Allan Kardec nos mostra que a sociedade mundial passaria por um grande momento, marcados por mudanças de valores estruturais. Como somos um país de provas e expiações e estamos em constantes progressos espirituais, em prol de uma melhoria mais consistente e duradoura. Acreditar que estas mudanças são necessárias e impulsionariam o crescimento do mundo é fundamental e premente, mas todas estas transformações geram rastros de ranger de dentes, com dores generalizadas e deste momento surgirá uma nova comunidade internacional, em bases e valores mais sólidos e verdadeiros mais puros e espiritualizados.

Os espíritas acreditam que estamos passando por um momento de transição de mundos, de um mundo conhecido como o de expiação e de provas para um mundo marcado por um mundo de regeneração, neste último muitos vícios que trazemos nos nossos íntimos serão deixados para trás, a renovação nos levará a um novo ser humano, mais solidário, mais consciente, empático e mais harmonizado com valores mais evoluídos e desenvolvidos,  integrados com os espíritos superiores que vivem em ambientes mais sublimes.

Neste momento encontramos uma sociedade mais capacitada em termos científicos e tecnológicos, diante deste desafio a comunidade internacional deve se juntar, pesquisadores das mais diferentes regiões do mundo devem se unir, unindo esforços hercúleos em prol de uma solução emergencial. Laboratórios públicos e privados devem se unir na busca de uma vacina que resolva a cura dos infectados, pesquisadores e intelectuais devem ser estimulados a compreender a sociedade na pós-pandemia, os ajustes que devem ser construídos para que os indivíduos possam crescer e se desenvolver com os medos gerados pela pós-pandemia, seus novos comportamentos e valores, visando a construção de uma sociedade mais integrada no ser, nos sentimentos e nos valores mais consistentes, deixando de lado este mundo centrado pelos valores do ter, da posse, das imagens e da acumulação dos recursos materiais e do consumo. Se a pós-pandemia trouxer novas valores para os indivíduos e para a coletividade global, este momento terá trazido um grande progresso para toda a comunidade internacional.

A chegada desta pandemia na sociedade internacional deve transformar os indivíduos a momentos de reflexão, a sociedade global deve parar para repensar valores consolidados, comportamentos cotidianos e relacionamentos degradantes. O momento de renovação espiritual, as pessoas devem compreender que o Planeta Terra é uma grande escola, um momento de vivências constantes em prol de um crescimento espiritual, levando-nos a mundos mais evoluídos, convivendo com espíritos mais elevados, sublimes e mais generosos e desenvolvidos, absorvendo sentimentos maiores e valores mais conscientes de nosso papel social na vida.

Ao observar as dificuldades dos países nas mais variadas regiões do mundo, percebemos como a pandemia está levando indivíduos ao óbito em condições que poderiam ser evitadas, pessoas morrem sem água encanada, sem alimentos e sem condições de dignidade, gerando pessoas infelizes, criando ambientes marcados por energias negativas, com isso, a atmosfera se mostra marcada por escuridão, medos e desesperanças, eternizando a pobreza espiritual e material. No continente africano, mais de 700 milhões de irmãos vivem em condições de indignidade, sem água e sem sabão, em condições degradantes de saúde e de higiene pessoal, cultivando doenças primárias que levam a morte que seriam evitadas facilmente.

A Doutrina Espírita nos mostra uma visão social muito mais ampla do que outras visões religiosas, o espiritismo nos mostra que o mundo está caminhando para um momento de grandes renovações e este crescimento é imposto e inexorável, todos devem aceitar e trabalhar em prol da coletividade, abraçar nossas responsabilidades e criam ambiente mais salutares, criando sentimentos mais sublimes e nos conscientizarmos de que a evolução está sendo conduzida pelo governador do Planeta Terra, Jesus Cristo, condutor e timoreiro destes momentos da sociedade internacional.

A pandemia deve mostrar a todos os indivíduos a importância da natureza, o respeito aos valores dos animais, das florestas, das matas e dos vegetais, de todos os povos, dos indígenas, dos negros e dos asiáticos. Neste momento de instabilidades e incertezas, cabe aos países mais desenvolvidos, coletividades mais abastadas de recursos monetários e mais capacidades tecnológicas e científicas, usando-as em prol da sociedade internacional, desde seus povos até seus irmãos de outras regiões do mundo. Neste momento devemos ser mais solidários e empáticos, renovando comportamentos marcados por valores materiais e construindo valores mais espirituais.

Segundo Chico Xavier a sociedade mundial está caminhando para o mundo de regeneração, deixando para trás o mundo de provas e expiações, que acontecerá depois de 200 anos da codificação de O Livro dos Espíritos, algo em torno de 2057. Neste momento, a sociedade internacional tem que ter consciência deste momento que passamos no Planeta Terra, um momento de mudanças, que exigem dos cidadãos valores mais amplos e consistentes, enxergando o mundo contemporâneo como uma grande escola, uma universidade de vivências, de experiências e de evoluções.

Nas questões econômicas percebemos inúmeros conflitos em curso na sociedade, de um lado percebemos uma discussão entre economia e saúde, um conflito equivocado, afinal o que vai acontecer para a economia se as pessoas não tiver saúde? Como será o consumo se as pessoas não existirem mais? A economia é fundamental na sociedade, o emprego, a renda e o consumo são cruciais para o sistema econômico, mas antes de tudo, os seres humanos precisam preservar a sua saúde e suas condições de vida para poder trabalhar e auxiliar no progresso social, sem saúde a economia entra em colapso.

A pandemia pode estimular uma mudança na mentalidade de empresários e pessoas que possuem mais recursos, mas para isso, faz-se necessário que as pessoas busquem informações sobre as necessidades das pessoas, contribuindo para os donativos, deixando recursos monetários para aqueles que possuem nada, doando alimentos, roupas e produtos de consumo pessoal, desta forma, as pessoas começam a desenvolver a empatia, a solidariedade e sentimentos para com os outros. Estas mudanças não acontecem de uma noite para o dia, algumas demoram uma vida, estão sempre presas em comportamentos egoísticos, em seus interesses e seus valores, mesmo assim, numa outra vida os cidadãos vão perceber valores que estão atualmente esquecidos.

A pandemia deveria levar a sociedade internacional a refletir sobre o mundo do trabalho, levando a sociedade a repensar sobre a importância e a centralidade do trabalho na civilização, deixando de lado este ambiente de competição e de concorrência acelerados, voltando a centralidade do mundo do trabalho não como acúmulo de recursos e entesouramento, mas uma instrumento de desenvolvimento social e econômico, como agente de sobrevivência, de incremento de direitos políticos, cidadania e respeitabilidade, estimulando valores de coletividade e de solidariedade, valores diferentes dos que encontramos na sociedade contemporânea, sempre centrado na concorrência desigual e a preservação de ganhos dos mais abastados.

A Educação deve ser vista não apenas como uma forma de agregar as pessoas para o mercado de consumo, mas deve ter um caráter mais amplo, a educação deve ser vista como uma forma de renovar seus valores do mundo, conhecendo várias áreas, estimulando a formação da cidadania, seus direitos e seus deveres, conhecendo as ciências, a literatura, a filosofia, as artes, a sociologia, a história, as religiões, o direito, a antropologia e os comportamentos humanos. Infelizmente, na sociedade contemporânea, a educação está fortemente centrada nas leituras superficiais, sem aprofundamentos maiores, com leituras de orelhas de livros e leituras de resenhas superficiais, formando pessoas pobres intelectualmente, com leituras reduzidas e, mesmo assim, com opiniões constantes nas redes sociais, para que sejamos vistos como especialistas em assuntos variados, opinando sobre todos os temas, entrando na conversas, gerando fakes News, gerando ignorância e espalhando constrangimentos. .

O mundo da matéria é fundamental, todas as experiências são valorosas para a busca do progresso espiritual, as vivências servem para entender as necessidades mais íntimas do progresso do ser humano, nesta pandemia devemos entender que aqueles que possuem mais devem auxiliar aqueles que tem menos. Neste momento de incertezas na sociedade internacional, todos seremos chamados para dar sua parte do auxílio deste momento de dificuldade, todos seremos responsabilizados por aquilo que deixamos de fazer em prol da coletividade. A conscientização das pessoas é fundamental para seu progresso espiritual, neste instante estamos num momento de renovação e de esperanças, esses sentimentos devem animar os corações de todos os indivíduos, levando conforte e serenidade para todos que mais necessitam, transformando esta pandemia em um momento de novos horizontes e crescimentos espirituais.

 

 

 

 

 

 

DEIXAR RESPOSTA

Por favor digite seu comentaário
Digite seu nome