Drogas: uma ameaça cada vez mais agressiva

2
737

 

Uma das maiores angústias da sociedade contemporânea está relacionada às consequências do avanço desmesurado das drogas e do tráfico de entorpecentes sobre os indivíduos, gerando destruição em massa nas famílias e perturbações nos governos, além de gastos públicos cada vez maiores e preocupações mais frequentes com violência e a insegurança generalizada.

O mundo atual nos parece cada vez mais atônito com o crescimento dos mercados de entorpecentes, as drogas estão tomando uma proporção cada vez mais assustadora, neste ambiente encontramos profissionais liberais que se entregam ao vício acreditando que conseguem parar quando quiserem, pessoas, muitas vezes acima de qualquer suspeita, que usam drogas para continuar trabalhando e sobrevivendo, indivíduos que já não mais conseguem viver sem a cocaína e que, muitas vezes, perderam toda a dignidade, deixaram seus lares depois de brigas intensas e passaram a morar nas ruas, a fazer bicos como forma de sustentar seu vício, muitos agindo de forma agressiva, roubando e cometendo crimes de toda a natureza, elevando os índices de criminalidade e deixando a população amedrontada, clamando pela intervenção policial.

Dados recentes nos levam a aumentar nossa preocupação, somos o segundo maior mercado consumidor de drogas do mundo, com um exército estimado de 2,8 milhões de consumidores, perdendo apenas para os Estados Unidos, mesmo não produzindo esta mercadoria, somos grande importadores deste produto, que entra nas nossas fronteiras pelos mais diversos locais, por terra, pelo ar também pelos rios e mares, chegando aos morros e incrementando a violência, violência esta, que se espalha pelo país como uma praga das mais assustadoras, gerando caos e destruição por onde passa, tornando o país um dos mais violentos do mundo, com índices mais elevados de assassinatos do que países que vivem guerras civis e conflitos armados, que dissipam seu povo e corrói as estruturas da sociedade.

Um dos países mais importantes na geopolítica das drogas é o México, neste país que faz fronteiras com os Estados Unidos, encontramos o controle das rotas de venda de cocaína para o maior mercado do mundo. Na divisão desenvolvida até os anos 80, cabia aos colombianos o plantio e a produção da cocaína, que foram bastante afetadas pelas políticas adotadas nos anos 90, o chamado Plano Colômbia, que intensificou o ataque do exército colombiano, auxiliado pelo governo norte-americano, fragilizando os produtores colombianos e abrindo espaço para que os mexicanos se consolidassem como os grandes gestores desta multinacional das drogas, que, terceirizaram a produção do produto para vários países da América Central, hoje o país é o grande ator deste mercado, monopolizando milhares de rotas por ar, terra, água e subsolo, com o controle de milhares de redes de túneis ligando México aos Estados Unidos, garantindo, com isso, acesso ao maior mercado consumidor de cocaína do mundo, o que lhe concede lucros fantásticos e jamais vistos em outros negócios ao redor do mundo.

O México é um mercado dominado pelo tráfico de drogas, dentre os principais cartéis do país, destacamos os Caballeros Templarios, ultrareligiosos, disciplinados e influentes, dominam o Estado de Michoacán, onde o governo e as forças de segurança não conseguem atuar e estão se aliando a milícias civis para tentar controlar o poder, uma situação clara de desespero, que denota uma situação de desesperança, instabilidade e medo. Além deste grupo, destacamos os Zetas, mais agressivos e violentos, que degolam, mutilam e assassinam, filmam estas atrocidades e colocam nas redes sociais para intimidar e mostrar seu poder para a população, gerando mais medo e preocupações constantes. Outro grupo, o de Sinaloa, pode ser descrito como o mais profissional de todos, menos agressivo e diversificado, atua em várias frentes, distribuindo não só cocaína como metanfetamina, heroína e maconha, todas produzidas no México.

Muitos perguntam como funciona o mercado de drogas, será que este produto é tão rentável como dizem? Um dado interessante, extraído do novo livro de Roberto Saviano, nos dá esta resposta de forma primorosa: “Se neste momento eu investir US$ 1.000 em ações de petróleo e estiver indo bem, posso ganhar em um ano US$ 1.200, US$ 1.400. O mesmo se dá se eu investir em ações da Apple. Mas se investisse em cocaína, ganharia nada menos do que US$ 182 mil. A cocaína é um mercado imenso, que traz liquidez econômica, um mercado que não conhece crise”. Depois desta resposta tão clara e veemente, percebemos o poder deste mercado, será que existe algum produto com potencial tão grande como o da cocaína e de outros entorpecentes?

No mundo globalizado, marcado pela concorrência e pela competição aceleradas, as drogas muitas vezes são utilizadas para levar o indivíduo a uma fuga da realidade, para se concentrar nos afazeres do cotidiano, evitando que o indivíduo se encontre com sua realidade, num momento inicial a mercadoria tem esta utilidade mas, no médio prazo, levo o indivíduo a dependência, obrigando-o a buscar cegamente as drogas, perdendo a profissão, a família e os amigos, impedindo-o de enxergar a sua própria realidade, de dependência e de indignidade, poucos conseguem se recuperar desta doença social degradante e humilhante.

Os produtores de cocaína profissionalizaram o negócio, a logística foi toda reconstruída, no Brasil, recentemente, a Polícia Federal encontrou em uma de suas operações, indícios de que os traficantes estavam arquitetando a criação de uma empresa de aviação de fachada para transportar a droga, levando-a de região em região, ludibriando as autoridades e aumentando as suas, já gordas, fontes de lucro e de acumulação.

Analisando o potencial deste mercado, percebemos que muitos governos apresentam alto grau de comprometimento e de dependência, isto porque, não dá para acreditar que toda esta indústria de entorpecentes, que arregimenta bilhões de dólares no mundo todo, consegue se estruturar e se desenvolver, sem o auxílio oficial, dado por políticos e por autoridades que ocupam cargos altos nos Estados Nacionais e que se escondem, criminosamente, atrás de um negócio que destrói milhares de famílias e levam um grande número de pessoas a viverem de forma indigna, sem esperança e sem perspectivas de futuro, levando-os a uma depressão que o destrói lentamente.

As drogas são, realmente, um dos grandes problemas da sociedade mundial, não pode ser descrito apenas como um problema do Brasil, afeta todos os países e regiões que, com a globalização, deixa claro uma angústia global, que corrói e deixa um rastro de destruição e morte por onde passa, comprometendo os laços sociais que envolvem os seres humanos e levando-nos a uma situação de animalidade e irracionalidade, igualando-nos aos mais cruéis e violentos animais que vivem neste mundo.

 

2 Comentários

  1. Estava passando por aqui dando uma olhada no seu site, achei muito bacana e interessante professor!
    Fico me perguntando como você acha inspiração e tempo para tudo isso em um mundo atual onde facilmente trocamos coisas boas e produtivas por coisas volúveis e sem qualquer tipo de agragação.
    Já te achava um ótimo professor e agora admiro seu trabalho e principalmente seu conhecimento!
    Valeu, abraço.

DEIXAR RESPOSTA

Por favor digite seu comentaário
Digite seu nome