Espiritismo, conhecimento e transformação

0
29

O mundo esta passando por um amplo processo de desenvolvimento científico e tecnológico, nos últimos cinquenta anos as descobertas e invenções foram inúmeras, alterando as formas de pensar, de comunicar e de sobreviver, vivemos um verdadeiro renascimento, onde o conhecimento, a ciência e a tecnologia estão no centro desta nova sociedade, gerando novos desafios e oportunidades para o ser humano e novas oportunidades de progresso para a humanidade.

Neste novo momento da humanidade, muitas atividades serão destruídas, muitas profissões serão extintas e muitas novas formas de ocupação surgirão e ganharão força, obrigando os indivíduos a uma verdadeira rediscussão sobre as bases e os contratos sociais que embalam a sociedade, obrigando as autoridades a olharem os grupos menos favorecidos de uma forma diferente, sob pena de vermos um aumento considerável de conflitos abertos, guerras e desequilíbrios generalizados, ainda mais quando observamos, que um conflito na sociedade contemporânea, tende a destruir e gerar graves constrangimentos para a coletividade global.

Desde o século XIX as tecnologias vêm ganhando força na sociedade, o surgimento e o desenvolvimento de indivíduos capacitados e qualificados que se entregam ao estudo e ao desenvolvimento de novos produtos e tecnologias, em parcerias com pessoas dotadas de recursos econômicos e financeiros, auxiliou no nascimento de uma nova classe, mas estruturada, com métodos e pensamentos científicos, cujas ideias e descobertas auxiliaram no progresso da ciência e da sociedade global.

Se analisarmos em épocas remotas, as pessoas estavam muito sujeitas a doenças variadas, qualquer nova peste ceifava a vida de milhares de pessoas e geravam rastros de destruição e violências generalizadas, nestes momentos a ciência era muito atrelada a bruxaria e os atuais médicos eram vistos como bruxos dotados de conhecimentos escassos e grandes habilidades de manipulação de ervas e chás, no livro O físico, de Noah Gordon, o autor destaca a saga e as dificuldades da medicina neste momento de privações e dificuldades.

Estes aspirantes a médicos eram acompanhados, como são na atualidade, por espíritos desencarnados que os auxiliavam nas manipulações e no desenvolvimento de medicamentos e vacinas para reduzir as dores dos indivíduos vitimados por variadas doenças, neste momento percebemos como a espiritualidade nos auxilia em todos os momentos de nossas existências, muitos pesquisadores amadores eram levados em espírito durante o sono físico para estágios com médicos e pesquisadores renomados desencarnados, nestas viagens recebiam informações e participavam de pesquisas e descobertas, todas visando o aperfeiçoamento da medicina terrestre e a redução das dores e dificuldades dos encarnados, cujas dores causavam constrangimentos físicos variados.

Com o surgimento da Doutrina Espírita e o crescimento da ciência e da investigação científica, novas áreas e setores surgiram na sociedade, descobertas revolucionárias, inovação e novas linhas de pesquisa foram apresentadas para a coletividade, impulsionando a pesquisa e o conhecimento científico, levando muitos indivíduos a se aperfeiçoar em novas áreas e setores, abrindo novas oportunidades e um amplo leque de escolhas para a sociedade, por trás destas descobertas a atuação discreta de pesquisadores encarnados motivas e inspirados por renomados cientistas desencarnados.

Neste momento histórico, marcado ainda pelo poder da Igreja Católica, mesmo este poder tendo sido diminuído por equívocos anteriores e pelos lances finais da inquisição, a ascensão da Doutrina dos Espíritos inaugura o fortalecimento de uma visão religiosa que enxerga a ciência como parceira e não mais como rival, como acontecia até então por outras visões religiosas. O Espiritismo nasce baseado em um tripé, como destacou Allan Kardec em O Livro dos Espíritas, neste novo modelo a ciência e a fé raciocinada devem caminhar passo a passo com a filosofia e a religião, esta tríade sustenta a doutrina espírita e faz dela uma nova forma de pensar a sociedade e a relação entre ciência e religião.

A Doutrina dos Espírito vai inaugurar um novo momento na história da sociedade mundial, a partir das obras de Allan Kardec, o mundo vai se deparar com uma nova estrutura de pensamento, segundo esta, o mundo material está umbilicalmente relacionado com o mundo espiritual, nesta concepção de sociedade somos espíritos animando corpos materiais mas a verdadeira vida se dá no mundo imaterial, estas ideias vão gerar muitos constrangimentos e vão criar adeptos e detratores, sendo que estes últimos serão implacáveis tentando denegrir e constranger os adeptos da nova revelação.

A Doutrina se apoia em princípios como a reencarnação e nas variadas vidas sucessivas, onde ora estamos encarnados ora nos encontramos no mundo dos espíritos, estes dois mundos estão interligados e se comunicam muito mais do que imaginamos, nos influenciando e, muitas vezes, até nos comandando. No século XX, inúmeras pesquisas científicas, muitas delas ainda não foram divulgadas ou muitas foram boicotadas, encontraram rastros da existência de variados mundos que se interligam, como a física quântica e suas descobertas de mundos integrados.

A Doutrina está centrada no estudo e na reflexão criticas, nestes estudos os indivíduos recebem informações variadas sobre fenômenos que se sucedem, nestes estudos compreendemos as leis da natureza que estamos sujeitos em nossas vivências cotidianas, diante disso, percebemos o quanto para o Espiritismo as leituras e o conhecimento são importantes e fundamentais, no espiritismo não fugimos da ciência, muito pelo contrário, a ponto de muitos considerarem o Espiritismo como a religião dos livros.

A Doutrina nos mostra como é a vida no mundo espiritual, para isto nos traz inúmeras obras, tais como a coleção de André Luiz, onde o autor dita para o médium Francisco Cândido Xavier, como vivem os espíritos, seu cotidiano, sua relação com o mundo material, com a ciência e com o conhecimento, dentre outros temas, nos mostrando que a realidade da vida é muito mais intensa e compreensível do que as religiões anteriores divagavam e conjecturavam, a doutrina nos mostra in loco, via depoimento de espíritos desencarnados através de médiuns, estes relatos nos auxiliam a desmistificar a morte e o morrer, afinal, em quarenta mil anos de racionalidade no mundo, nós seres humanos já fomos ao mundo imaterial e voltamos ao mundo material ao menos algumas centenas de vezes.

Muitas descobertas da ciência são creditadas a pesquisadores e homens da ciência e do conhecimento, a maioria ignora o trabalho do mundo espiritual e da atuação dos bons espíritos, mal sabem eles que muitas inspirações e direcionamento nas pesquisas científicas são dadas por pesquisadores desencarnados, isto acontece tanto para pesquisas que geram bem-estar e avanços para a coletividades quanto para pesquisas que levam a descobertas de mercadorias e produtos que geram vícios e desequilíbrios para a coletividade. Um bom exemplo destas descobertas são os medicamentos e drogas que geram dependência dos usuários e causam inúmeros constrangimentos para os dependentes, que enveredam para um mundo que propiciam inicialmente prazeres e gozos terrestres e geram dependência e degradação emocional, psicológica e espiritual.

Os ensinamentos espíritas no mostram a importância da leitura e do conhecimento, que podem ser compreendidos como instrumentos de reflexão e de melhoras visando um crescimento espiritual, objetivo primeiro e fundamental para todos os indivíduos. A literatura espírita é bastante volumosa, desde romances e dissertações, passando por biografias e obras variadas, todas elas nos trazem uma ampla gama de conhecimentos para que a coletividade possa repensar seus comportamentos e alterar suas formas de vida, visando os tão almejados progressos moral e espiritual.

A tríade Espírita nos mostra que para o progresso do ser humano, faz-se necessário o crescimento espiritual, o moral e o intelectual, a leitura pode nos ajudar nesta renovação, o conhecimento pode nos levar a uma reflexão e esta pode nos mostrar os nossos equívocos e orientar para que alteremos rotas e atitudes, sem estas mudanças teremos grandes dificuldades para progredir. Muitas pessoas buscam na Doutrina Espírita elementos para compreender melhor suas dificuldades, nesta busca constante se deparam com o conhecimento espírita, estes conhecimentos auxiliam em sua renovação interior e podem abrir portas importantes para seu progresso, nesta caminhada muitos indivíduos desistem desta transformação, pois percebem que, para o espiritismo, não existem vítimas, somos todos culpados.

O conhecimento nos auxilia mas, muitas pessoas não aceitam as suas dificuldades e mesmo percebendo a racionalidade desta situação, continuam questionando e se rebelando contra as forças do bem, colocam-se como vítimas e se esquecem de que se sofrem na vida atual as razões deste sofrimento está ou em experiências e vícios anteriores ou nos equívocos contemporâneos, sair da zona de conforto e se colocar no centro de suas dificuldades ainda é difícil para muitas pessoas que preferem se colocar como vítimas, terceirizando suas responsabilidades.

O conhecimento é uma grande benção divina, estudar, refletir e compreender as questões que envolvem a sociedade e o cotidiano de todos é algo fundamental e transformador, muitos se dedicam a este conhecimento e o distorcem em prol de interesses imediatos, usam de forma equivocada tudo que aprendem, visando apenas seus interesses mesquinhos e imediatos, buscando o lucro e os gozos terrestres. Estes indivíduos se deixam levar por vaidade e egoísmos variados e passam a acreditar que seus saberes são bens individuais e se esquecem do caráter coletivo e social, neste instante passam a acumular passivos negativos que, num futuro muito próximo, terão que prestar contas a Deus e as entidades superiores, afinal muitos lhes foi dado e, por isso, muito lhes será cobrado.

Muitas vezes encontramos indivíduos idiotizados ou desprovidos de uma maior capacidade reflexiva, alguns atrasos mentais e sensoriais, neste momento nos perguntamos porque nascem e vivem desta forma? Porque Deus autoriza alguns a nascerem com tais limitações e outros apresentam saúde física e plenas capacidades reflexivas? A Doutrina Espírita nos concede algumas pistas para estas indagações, nos auxilia na compreensão dos porque e esclarece algumas dúvidas e nos abrem novas questões e indagações. Muitos destes irmãos nascem desta forma e com estas limitações porque abusaram da inteligência e do conhecimento em vidas anteriores, são indivíduos altamente inteligentes que se deixaram levar por interesses imediatistas e particulares, utilizando seus conhecimentos para acumular riquezas e degradar a vida de outros irmãos, nesta encarnação serão educados com estas limitações físicas e emocionais, sua inteligência ainda existe e se faz latente dentro de sua alma, mas momentaneamente se encontra em estado de repouso e brevemente será reativada por completo.

O conhecimento deve ser uma mola para o progresso da humanidade, deve ser vista como um instrumento de prosperidade e crescimento dos indivíduos e, principalmente, da coletividade. Quando nos deixamos levar pelos gozos imediatos e pelos prazeres materiais, nos distanciamos de Deus e dos princípios que regem a sociedade universal e seremos cobrados integralmente por nossas escolhas e direcionamentos.

A Doutrina dos Espíritos nos traz grandes instrumentos de reflexão, muitos a enxergam apenas como uma filosofia, enquanto outros a veem como uma religião, na verdade o pensamento Espírita é muito mais do que isto, une uma tríade de conceitos e áreas diferentes e nos auxilia na compreensão da vida e dos processos evolutivos, sempre com responsabilidades e segurança, mostrando-nos que somos atores de nosso próprio desenvolvimento. Enquanto não nos conscientizarmos disso, vamos continuar deixando oportunidades sublimes para trás e, mais uma vez, atribuindo a outros as responsabilidades por nossos fracassos e limitações.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DEIXAR RESPOSTA

Por favor digite seu comentaário
Digite seu nome