Moral, ética e os valores da sociedade contemporânea

0
950

            O poder cada vez maior do dinheiro, do capital e dos recursos monetários estão gerando grandes transformações no indivíduo, mudando hábitos, costumes e comportamentos, causando constrangimentos, medos e desesperanças, mas ao mesmo tempo, criando um grande laboratório para que se compreenda os seres humanos, seus valores e sua natureza.

Um dos grandes males da expansão do capitalismo na sociedade mundial é que, neste sistema, tudo pode ser comercializado, tudo se compra, tudo se vende, o local deste comércio é conhecido como mercado, que passa a ter um poder incomensurável, se parecendo mais como uma religião, como um grande Deus ou uma divindade, do que como um espaço de trocas e de satisfações pessoais, o mercado ganha um status sobrenatural e todos os indivíduos devem se adaptar a esta nova realidade, sob pena de ser condenado ao esquecimento eterno, ao purgatório do desemprego, a exclusão social e a desesperança com relação ao futuro.

Neste mundo baseado e estruturado na matéria, a Doutrina Espírita surge como um grande oásis de reflexão sobre a vida, a partir da Terceira Revelação os indivíduos passaram a perceber que o mundo não se restringe apenas a vivência material, somos espíritos imortais, nascemos e vivemos em vários corpos e em inúmeras oportunidades, nascemos várias vezes, fomos homens ou mulheres, ricos ou pobres, dotados de conhecimentos ou não, somos um misto de muitos indivíduos dentro de um mesmo espírito, vivemos várias vidas e trazemos todas elas dentro de nosso íntimo, com isso, começamos a compreender muitos dos desequilíbrios e desajustes que cultivamos intimamente e que não conseguiremos compreender em apenas uma única existência, por isso estamos em constantes momentos de vida, uns no mundo material e outras no mundo imaterial.

No mundo contemporâneo estamos sendo testados todos os momentos, o poder do dinheiro, do capital e do luxo é imenso, todos somos atraídos pelos seus encantos, pelo seu glamour e pela sua ostentação, tudo isso nos gera prazer e nos coloca em evidência e revive nossos mais mesquinhos desejos e vontades. Vivemos numa sociedade onde as pessoas são avaliadas pelo que possuem, pelos seus recursos monetários, pelas suas propriedades e pelos seus títulos, muitos conceituam-na como meritocracia, mas na verdade é uma sociedade centrada na exclusão e na exploração, o que muitos não querem enxergar, é que quem hoje explora amanhã pode ser o explorado.

A Doutrina Espírita nos mostra, claramente, que somos frutos de uma constante evolução, estamos sempre progredindo, uns acumulam mais conhecimento, outros se elevam moralmente, outros evoluem em seus desprendimentos, mas estamos evoluindo, esta é a lei criada por Deus. A evolução é estimulada pelas leis naturais, em alguns momentos acreditamos que tudo está perdido, que estamos regredindo e andando para trás, tudo não passa de uma visão limitada e enganosa, se não estamos evoluindo por nós mesmos, os amigos espirituais estimulam a evolução, inspirando ações, enviando espíritos mais evoluídos para nos direcionar e nos mostrando caminhos mais consistentes e solidificados, com isso, somos impelidos ao crescimento, mesmo sabendo que muitos se comprazem com a situação atual, para estes as dores, as doenças e os vazios existenciais, as dúvidas constantes e os medos servem como uma verdadeira alavanca que nos impulsiona para a reflexão, para a busca e para as novas descobertas que passam a dar mais sentido à vida e consistência para nossas ações e comportamentos.

Estas dores, embora causem fortes constrangimentos aos indivíduos, nos forçam para uma busca mais consciente da existência humana, muitas pessoas buscam as casas espíritas e os conhecimentos oriundos da Doutrina dos Espíritos para compreenderem questões íntimas e pessoais, tristezas, mágoas e ressentimentos acumulados. Quantos irmãos se veem em dores morais e em vazios existenciais e buscam compreender o porquê estão solitários, qual a raiz de sua solidão e qual o sentido de suas existências no mundo material. A maioria dos indivíduos vive por viver, acorda sem refletir, se alimenta por se alimentar, trabalha por trabalhar e não se questiona o significado de todas estas atividades cotidianas, estes indivíduos tendem, ao desencarnar, não compreenderem sua situação no mundo imaterial, vivendo na ignorância, no desconhecimento e na escuridão, são indivíduos que sempre viveram atrelados a matéria, aos valores do dinheiro e não se preocuparam com a grandeza da existência humana.

Na atual existência física precisamos estar conscientes de que somos seres deveras imperfeitos, todos cometemos equívocos variados, nossa trajetória de vidas passadas se mostra muito espinhosas, cometemos erros terríveis, agredimos, ultrajamos, vilipendiamos, caluniamos, muitos cometeram inúmeros crimes e assassinatos, além de termos, em muitas existências abandonamos pessoas que na atualidade estão ao nosso lado para o reajuste, afinal, não podemos nunca nos esquecer de que somos imperfeitos. Diante de tudo isso, devemos evitar os julgamentos, quando apontamos o dedo para outro indivíduo, quando menosprezamos aqueles que cometeram equívocos, quando nos colocamos como superiores de nossos colegas ou conhecidos, estamos nos esquecendo de nosso passado, de nossos crimes e de nossos desequilíbrios. Embora queiramos esconder este passado nos vãos de nosso subconsciente, ele está mais vivo do que imaginamos e sempre ressurgirá quando nos colocarmos como superiores e julgarmos nossos irmãos em queda, tenhamos misericórdia e oremos por estes irmãos, afinal, todos nós, com certeza, gostaríamos que os outros agissem desta forma conosco em nossas quedas e em nossos inúmeros deslizes.

Na contemporaneidade vivemos um discurso preocupante sobre valores morais e éticos, nos colocamos sempre do lado do bem e degradamos todos aqueles que agem de uma forma equivocada, muitas vezes os agredimos para mostrar nossa superioridade moral, alardeando os valores cristãos, mas no íntimo agimos sempre de acordo com nossos interesses e deixamos de lado os valores mais sólidos e consistentes, lembremos sempre dos ensinamentos de Jesus: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Porque sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas por dentro estão cheios de ossos e de toda imundície. Assim também vos exteriormente pareceis justos aos homens, mas por dentro estais cheios de hipocrisia e de iniquidade”.

Os julgamentos devem ser evitados a todos os momentos, a Doutrina Espírita nos mostra claramente que somos indivíduos, com muitas existências físicas, nestas vivências cometemos equívocos que, se tomássemos consciência na atualidade, estaríamos internados em hospitais psiquiátricos, nossos erros foram tremendos e estão dentro de nossa intimidade e a qualquer momento podemos acessar estes desequilíbrios e os resultados seriam desastrosos, levando-nos a desajustes emocionais severos. Sabendo destes ricos e pormenores da vida de cada um, o espiritismo nos mostra que, ao renascer no corpo material, passamos a esquecer momentaneamente este passado sombrio, ficam encastelados em nossos subconscientes para que, aos poucos, possamos compreender, digerir e expiar de forma consciente para que alcancemos o progresso espiritual e o tão almejado desenvolvimento espiritual.

Muitos irmãos nascem em famílias com graves desequilíbrios emocionais e espirituais, vivem em situações difíceis, passam por privações materiais e recebem em seu ventre crianças especiais, indivíduos dotados de grande inteligência, mas que se equivocaram em vidas anteriores e, na atualidade, nascem com deficiências físicas ou sensoriais, estão expiando seus erros pregressos, nasceram nestes lares e com estes familiares, porque estes, em algum momento de sua existência anterior contribuíram para agravar estes desajustes.

A Doutrina Espírita nos mostra claramente que não existe acaso, todos os nossos atos são computados no grande computador da vida, quando agimos bem e de forma carinhosa, quando somos caridosos e atenciosos com os indivíduos, recebemos da vida este mesmo carinho e esta mesma atenção, a vida nos retorna tudo aquilo que nós damos e, com isso, nosso caráter e nossos valores são elevados a uma categoria maior, denotando nossa evolução.

Numa das passagens mais interessantes do livro Nosso Lar, psicografia de Francisco Cândido Xavier e ditado pelo espírito do médico André Luiz, o autor espiritual nos mostra que poucas pessoas oraram para ele quando este se encontrava encarnado, sua mãe e uma senhora cujo marido tinha sido atendido algumas vezes de graça em seu consultório, como retribuição esta senhora orou por ele pedindo proteção e agradecendo as consultas, estas preces foram muito importantes no mundo físico e também no mundo espiritual, auxiliando em suas dificuldades e limitações. Neste episódio, o Espiritismo nos mostra como a prece é um instrumento fundamental para que consigamos nos equilibrar espiritualmente e serve como um instrumento de auxílio e proteção aos outros e de agradecimento a Deus, a oração mostra nossa humildade e disseca nossos sentimentos mais íntimos e pessoais.

Fujamos sempre de julgar os outros indivíduos, o que não queremos para nós não devemos fazer para as outras pessoas, se julgarmos nossos semelhantes estamos abrindo caminho para que sejamos julgados e neste julgamentos, com certeza, seremos condenados, afinal, precisamos compreender que estamos encarnados em um mundo de expiação e de prova, nascemos neste planeta porque somos atraídos pelas energias emanadas deste local, se são energias negativas e atrasadas, é porque ainda trazemos muito destas energias desequilibradas dentro de cada um de nós.

A melhor forma de progredirmos espiritualmente neste mundo marcado pelo atraso moral e pelos valores do dinheiro, é nos vigiarmos e mantermos sempre a disciplina, o comportamento reto e a vigilância de nossos pensamentos. Controlar os nossos sentimentos não é algo fácil e imediato, para que consigamos devemos entender que tudo deve ser visto como um grande processo, devemos exercitar estes sentimentos e pensamentos, devemos fazer caridade, devemos cultivar o hábito da oração, devemos compreender que a natureza não dá saltos, tudo acontece ao seu tempo, mas devemos nos dedicar, estudar, refletir e compreender que evoluímos paulatinamente nas várias oportunidades que a espiritualidade nos concede, entendamos tudo isso e, com certeza, viveremos melhor e seremos luzes para o progresso de todos que nos ladeiam, o progresso individual leva a comunidade a um progresso coletivo e o indivíduo a progredir para mundo melhores, onde a violência se reduz, a solidariedade aumenta e a proximidade com o progresso se faz mais evidente em cada ser humano.

DEIXAR RESPOSTA

Por favor digite seu comentaário
Digite seu nome