Centro Espírita: espaço de paz, estudo e solidariedade

0
1529

Existem locais onde os espíritos se sentem acalentados por sentimentos fraternos de amor e de solidariedade, estes locais devem sempre ser fortalecidos e estimulados, pois servem para consolidar sentimentos nobres e preparar o indivíduo para estar sempre em contato com Deus, esta energia suprema que nos conforta e estimula ao progresso e ao desenvolvimento moral e espiritual do ser humano, o Centro Espírita deve ser sempre este local, este espaço de amor e sentimentos elevados, onde as pessoas se sintam bem, e seus espíritos estejam fortalecidos para encarar de frente os duros e violentos embates da vida contemporânea, caracterizada por crises crescentes nos valores morais, incremento na concorrência e na competição entre indivíduos, empresas e Estados Nacionais.

A Doutrina Espírita, codificada por Allan Kardec, se transformou em um espaço sólido de discussão social, de desenvolvimento intelectual, moral e social, onde os indivíduos passam a enxergar o mundo como uma grande aldeia global, onde as pessoas devem se integrar em uma construção sólida de valores espirituais, valores estes que as traças não destrõem e os ladrões não roubam, a doutrina nos auxilia a enxergar nossos pendores mais íntimos e pessoais, auxiliando-nos na construção do homem novo e no sepultamento do homem velho, àquele que nos acompanha durante muitos séculos, que se instalou dentro de nossos sentimentos, tomou conta de nossos corações e gerou graves desajustes no nosso cotidiano, agora, com esta doutrina de paz e esperança vamos deixar de lado este homem velho, cheio de vícios e desequilíbrios, e construir em bases sólidas e seguras o homem novo, o verdadeiro homem do futuro, mais sensível e verdadeiro, dotado de sentimentos nobres e marcados pelo respeito, pelo amor e pela solidariedade.

As religiões modernas competem entre si na busca por novos fiéis, formas cada vez mais variadas de marketing e de propaganda são criadas para atrair indivíduos para suas fileiras espirituais, nesta verdadeira “batalha” religiosa, algumas igrejas perdem interessados e partem para estratégias mais ousadas de atração de fiéis, enquanto outras atuam diretamente em variadas áreas e setores, se utilizando de modernas mídias, das redes sociais e dos mais variados instrumentos modernos de atração de novos fiéis, até mesmo técnicas modernas de neuro-linguística e estudos dos comportamentos dos consumidores, técnicas desenvolvidas por pesquisadores de microeconomia, da psicologia e do pensamento humano, passam a subsidiar a atração sistemática de novos adeptos para ingressarem em suas fileiras religiosas e, com isso, engrossarem seu faturamento financeiro e seus investimentos milionários em cadeias de rádios, jornais, revistas e televisão, formas modernas de atingir um público maior e incrementar o faturamento.

As religiões modernas estão se transformando em grandes templos cheios de luxo, dotadas de mármores e pinturas modernas caríssimas, mas, se caracterizam por espaços vazios de sentimentos e valores humanos verdadeiros, locais belos fisicamente e, ao mesmo tempo, pobres de sentimentos, de amor e de solidariedade, este é o grande desafio das religiões contemporâneas, atrair pessoas carentes, tristes e sem esperança no futuro e dar a estas, alívio e equilíbrio emocional e espiritual, auxiliando-as em suas reformas íntimas e na melhoria de suas energias, fortalecendo-as para encarar, de frente e de cabeça erguida, os duros embates da vida.

A doutrina dos espíritos pode ser descrita como uma grande oportunidade de melhorias para os seres humanos, sua estrutura teórica nos auxilia na compreensão da vida e dos seres humanos, seus conflitos, dificuldades e necessidades mais íntimas, força-nos a reflexão e à transformação, mas deixa claro que todos os seres humanos são seres em evolução e, como tal, dotados de livre-arbítrio, somos relativamente livres para escolher nossos caminhos e devemos nos responsabilizar por nossas escolhas, devemos ser, sempre, atores principais em nossas histórias, e nunca devemos nos conformar em sermos coadjuvantes, só assim estaremos aptos para preparar nossos sentimentos e emoções para o progresso espiritual que é lei inexorável da vida, fomos feitos para o progresso espiritual, nascemos simples e ignorantes e vamos, com o passar dos tempos, nos transformando em espíritos puros, uns evoluem mais rápidos enquanto outros são mais lentos e renitente nos erros e equívocos, mas todos vamos nos tornar espíritos puros, essa é a Lei.

O centro espírita tem uma missão muito nobre, digna e edificante, suas portas devem estar sempre abertas para o auxílio espiritual dos irmãos que sofrem, daqueles que se sentem deprimidos, dos marcados pela desesperança e dos oprimidos de todas as ordens, material e espiritualmente, este templo deve ser um espaço de amor e solidariedade que deve primar pelo respeito e pela reflexão constante, nele os indivíduos devem se sentir acolhidos e aceitos integralmente, nele os preconceitos que caracterizam o ser humano, devem ser extirpados e o respeito se caracterize como a máxima maior dos seres humanos.

O grande desafio da doutrina dos espíritos e dos centros espíritas, de uma forma geral, é a manutenção deste ambiente salutar e agregador, os ambientes religiosos do mundo contemporâneo são sempre caracterizados pela competição e pela concorrência, pautadas pelos ganhos materiais e imediatos, criar e consolidar um ambiente diferente, marcados por sentimentos nobres é sempre uma missão difícil que exige dos espíritas a lembrança constante das palavras do espírito Emmanuel, quando de seu primeiro encontro com Chico Xavier, onde o espírito destaca três palavras que deveriam nortear todos os seus passos para a construção de uma vida digna e voltada para Jesus: disciplina, disciplina e disciplina, sempre, e de forma constante e intensa, nunca nos esqueçamos disso.

Para que este clima seja mantido, centrado na paz e na solidariedade, não existe uma fórmula geral, mas sabemos, claramente, que o segredo deste clima salutar é o equilíbrio interior de cada um, a auto reflexão, a reforma íntima e a melhoria constantes, o clima da casa espírita e de todos os locais, de uma forma geral, está diretamente ligado às pessoas que lá estão, ou seja, para manter o clima sereno, de paz e tranquilidade, cada pessoa deve vibrar de maneira salutar, deve se despir de sentimentos menores e cultivar ações, hábitos e comportamentos nobres e edificantes, nos vinculando aos espíritos superiores e renovando nossas energias constantemente no bem e na caridade, lembrando sempre da máxima descrita por Allan Kardec, fora da caridade não há salvação.

Como destaca o espírito Dr. Inácio Ferreira, crítico contumaz da exagerada vaidade dos trabalhadores das casas espíritas, que quando chegam ao plano espiritual acreditam que serão recebidos com polpas, glórias e honrarias, mas se espantam quando ao chegar ao mundo espiritual são conduzidos aos hospitais de socorros e levados a tomarem passes e transfusões de energias para se restabelecerem dos mais variados equívocos cometidos no plano material, julgam se merecedores das mais variadas honras, mas quando acordam se enxergam doentes e necessitados de atenção dos enfermeiros espirituais, isto porque na terra foram negligentes com sentimentos e com as transformações morais, subiram no púlpito, falaram para plateias variadas, emocionaram multidões e se emocionaram também, mas não deixaram que tal emoção transformasse atitude anteriores de arrogância, prepotência e vaidades, cultivando-as como ervas daninhas que minam a credibilidade espiritual, desencarnaram e são cultuados por muitos, interpretaram papéis de destaque na sociedade, enganaram muitas pessoas que acreditaram-nos cheios de méritos, mas não conseguiram enganar os espíritos superiores, que os viam como pessoas doentes, cheios de vícios e desequilíbrios, irmãos necessitados de tratamentos espirituais para se prepararem para novas jornadas no corpo físico, uma benção divina para tentarmos nos melhorar e, com isso, acompanharmos a evolução do mundo num momento marcado pela transição planetária.

O movimento espírita precisa se conhecer, compartilhar ideias e experiências, o trabalhador da doutrina deve se conscientizar, de que todas as informações recebidas dos espíritos amigos são fundamentais para auxiliá-los na sua reforma íntima, na sua verdadeira transformação moral, seus estudos e conhecimentos lhe mostram que, o mundo contemporâneo esta passando pelas mais variadas transformações, estamos numa era de mudanças estruturais, de mundo de expiação e provas, marcados pela violência e degradação dos sentimentos, para um mundo de regeneração, onde os sentimentos mais elevados devem reinar no coração dos indivíduos, este movimento nos parece distante e pouco possível, mas sabemos que este momento começou e está em curso, todos os espíritos que não mais aceitarem as diretrizes divinas de mudança e transformação serão conduzidos para outros mundos, mundos em estágios atrasados de evolução, como os exilados de Capela, que num determinado momento foram exilados e foram conduzidos para o planeta Terra, cujas energias e sentimentos são mais parecidos, estes irmãos foram importantes na trajetória de nosso mundo, auxiliaram no progresso do planeta e contribuíram para a construção de novas bases para todos os espíritos que reencarnaram no planeta Terra, onde encontraram, com certeza, um mundo melhor.

A Doutrina Espírita não pode ser descrita apenas como um conjunto de ideias e concepções religiosas, o Espiritismo é também uma Ciência e uma Filosofia, que nos auxiliam na compreensão do mundo e dos dilemas dos seres humanos, seus ensinamentos servem para mostrar para todos os indivíduos que nossas escolhas são eternas e suas consequências perpassam o mundo físico e se avolumam no mundo dos espíritos, a reencarnação deve ser vista como um grande guia propulsor do progresso humano, uma forma clara e serena de encararmos a realidade da vida, os instrumentos de funcionamento do mundo, seus segredos e a consciência constante, que pouco sabemos sobre as verdades da vida, quanto mais estudamos mais nos conscientizamos das nossas fragilidades intelectivas, buscar sempre e de forma humilde e respeitosa é um dos caminhos do progresso, mas este caminho deve ser sempre trilhado pelos ideais descritos por Jesus, nosso modelo e guia, espírito responsável pelo planeta Terra, cujos ideais devem estar sempre inscritos na alma do ser humano, ensinos para toda vida e para a eternidade, pois a morte não existe e a vida continua em outras paragens onde os sentimentos se sobrepõem aos valores materiais e a vida é vista muito mais como uma benção e como uma oportunidade de progresso do que como um fardo difícil de conduzir e se conviver pacificamente entre irmãos em constante estágio de ascensão espiritual.

A doutrina dos espíritos é uma grande benção para a sociedade, enxergamos nela a terceira revelação, depois de Moisés e de Jesus, o espiritismo é o consolador redivivo, encontramos nele tudo que é importante para o nosso desenvolvimento integral enquanto seres humanos, no mundo material e no espiritual, nossas dificuldades e limitações estão presentes em seus ensinos, e a superação destas também, estudar e refletir sobre a vida e nossas dificuldades, é sempre fundamental para nosso crescimento e consolidação moral.

DEIXAR RESPOSTA

Por favor digite seu comentaário
Digite seu nome