Vergonha nacional

0
38

Estamos vivendo um momento de grandes instabilidades, além da crise sanitária e da crise econômica, o país está sentindo as bases de outra crise, a política. As revelações da CPI da Covid estão mostrando os equívocos da gestão do Executivo.

Neste ambiente, as taxas de câmbio começam a assombrar a sociedade e impactando sobre os indicadores econômicos, afastando a recuperação da economia em V, uma mentira difundida pelo Ministro da Economia, Paulo Guedes.

Neste ambiente, os dados vergonhosos divulgados pela Receita Federal nos trazem novos elementos importantes para a discussão, onde vinte mil cidadãos que auferiram mais de R$ 230 bilhões de renda no ano passado deixaram de pagar tributos, ou seja, estes indivíduos não pagaram nada de imposto de renda.

Diante disso, percebemos muitos indivíduos equivocados defendem o “excesso” de pagamentos de tributos no país, na verdade esta narrativa é errada, quem realmente paga imposto no Brasil? Os dados são precisos e necessitamos incrementar as discussões de como financiar os gastos excessivos gerados pela pandemia.

Muitos empresários rechaçam os incrementos da tributação, defendendo que serão afetados pelo aumento dos tributos, um equívoco generalizado. Esses grupos que se acreditam ser classe alta, na verdade são verdadeiros indivíduos de classe média, defendem uma bandeira que não é sua, são verdadeiros iludidos e alienados, precisam estudar e refletir sobre as bases da desigualdade do país, que tem na questão tributária desigual, uma das causas da concentração de renda.

Os grandes donos do capital são aqueles que auferem bilhões e bilhões de reais, estes sim seriam os verdadeiros que deveriam ser tributados, como forma de justiça fiscal e instrumento de diminuir o fosso entre os grupos sociais, sem eles não seremos elevados a patamares mais altos de civilização… Reflitamos.

Ary Ramos da Silva Júnior, Economista, Mestre, Doutor em Sociologia e professor universitário.

DEIXAR RESPOSTA

Por favor digite seu comentaário
Digite seu nome